Estudo de caso   ·  

UNESP promove apoio à aprendizagem com Turnitin Feedback Studio

Como a UNESP utiliza os serviços da Turnitin para criar uma cultura de originalidade em apoio à educação de qualidade.

Desafios

A Unesp (Universidade Estadual Paulista) é uma das maiores e mais importantes universidades brasileiras, com destacada atuação no ensino, na pesquisa e na extensão universitária. Hoje, a Universidade conta com 34 unidades em 24 cidades, sendo 22 no Interior; uma na capital do Estado (São Paulo); e uma no Litoral Paulista. Oferece, na graduação, 136 cursos, conta com mais de 3,7 mil professores e aproximadamente 38 mil alunos. Na pós-graduação, são quase 14 mil alunos em 149 programas oferecidos.

Com uma comunidade acadêmica diversa e numerosa, o desafio inicial da Unesp foi de promover e fortalecer as ações relacionadas às boas práticas acadêmico-científicas no ensino e pesquisa. A instituição começou a atuar com a Turnitin no ano de 2010, em um período em que ferramentas para verificação de similaridade nos textos acadêmicos não eram comuns no Brasil. “Vimos na Turnitin uma oportunidade de apoiar os docentes”, comenta Flavia Maria Bastos, Coordenadora da Coordenadoria Geral de Bibliotecas (CGB). E o Turnitin Feedback Studio foi a opção adotada pela área, responsável por essa implementação em toda a instituição, na época. A CGB que tem entre suas atribuições identificar tecnologias que possam contribuir com a busca, a análise, a síntese e a comunicação de recursos informacionais de qualidade para o ensino e a pesquisa, visualizou na Turnitin uma oportunidade de apoiar os docentes no processo de interação com o aluno, trazendo inovação para o desenvolvimento do ensino e da pesquisa acadêmica. Foi participando de um evento fora do Brasil que a Universidade teve contato com a Turnitin e então se tornou uma das primeiras instituições brasileiras a adotar a ferramenta Turnitin Feedback Studio.

“No início, a adesão foi baixa e recebíamos muitos questionamentos dos professores sobre a real finalidade da ferramenta e sua relação com a qualidade da pesquisa realizada na Universidade. Na verdade, o que propusemos era justamente uma forma de apoiá-los na prevenção de problemas e também garantir inovação à pesquisa”, explica Flavia. No entanto, com a evolução do ambiente acadêmico e a disseminação de requisitos mais claros para a integridade acadêmica, o cenário mudou ao longo dos anos e a adoção do Feedback Studio por toda a Instituição se tornou uma demanda crescente. Se no início contavam com cerca de 60 professores fazendo uso ativo da ferramenta, hoje quase 400 professores submetem os trabalhos acadêmicos para análise do Feedback Studio. O entendimento da ferramenta também evoluiu. Se antes o propósito era verificar similaridade e identificar plágio, hoje passou a ser compreendida como um apoio para melhorar a qualidade das fontes de pesquisa e o desenvolvimento do pensamento original.

Resultados

A Unesp adotou o Feedback Studio e realizou, nos primeiros anos, capacitações em massa. Mas, a partir do momento em que a Fapesp, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, passou a demandar que as universidades organizassem comissões específicas para tratar da integridade e da ética na pesquisa, e passou recomendar o uso de ferramentas tecnológicas que apoiassem estes processos, a implementação do Feedback Studio na Unesp se tornou primordial.

A Pró-Reitoria de Pesquisa passou então a atuar em conjunto com a área das bibliotecas para disseminar ainda mais a capacitação, de modo que os professores passassem a adotar o Feedback Studio e a incorporá-lo em seus cursos, como recurso de aprendizagem.

"Foi neste momento que percebemos a necessidade de ampliarmos o número de acessos à ferramenta, em função, da demanda de professores que passaram a utilizar e compreender que o propósito do Feedback Studio não era de simplesmente identificar erros, mas sim de contribuir com a qualidade acadêmica dos trabalhos que são desenvolvidos em nossa universidade", comenta Flavia.

A evolução da instituição ao longo dos anos, associada às mudanças no cenário acadêmico e incorporadas à transformação digital na universidade vêm fazendo com que os docentes visualizem as diversas possibilidades proporcionadas pelo Feedback Studio. O uso da ferramenta segue crescendo e se potencializando não só para gerar relatórios de similaridade, mas também como um recurso de aprendizagem e de apoio aos estudantes na elaboração de conteúdo original, principalmente com o crescimento do EaD e ensino híbrido.

“Hoje é expressiva a adoção do relatório de similaridade pelos docentes, mas além disso, a ferramenta é vista como apoio na correção de textos produzidos pelos nossos alunos, sendo muitas vezes incorporada às disciplinas, pois é ao longo do processo de formação do aluno, na graduação, que ele vai aprendendo a construir um texto, e o Feedback Studio está presente nesse momento de grande interação professor e aluno, que resulta no processo de construção de um novo conhecimento”, finaliza Flavia.

[dra_flavia_maria_bastos_unesp:MEDIASTORE_LEAF]@216b28e5
(...) O propósito do Feedback Studio não é identificar erros, mas sim trabalhar visando a melhoria da qualidade acadêmica dos trabalhos desenvolvidos na nossa universidade.
Dra. Flavia Maria Bastos
Coordenadora da Coordenadoria Geral de Bibliotecas (CGB) e Coordenadora Executiva do Grupo Gestor da Política do Repositório Institucional da Unesp (GRI-Unesp)

Números

57.000
estudantes matriculados (graduação e pós-graduação)
+3.700
docentes
149
programas de pós-graduação

Localização

Brasil

Missão

Exercer sua função social por meio do ensino, da pesquisa e da extensão universitária, com espírito crítico e livre, orientados por princípios éticos e humanísticos. Promover a formação profissional compromissada com a qualidade de vida, a inovação tecnológica, a sociedade sustentável, a equidade social, os direitos humanos e a participação democrática. Gerar, difundir e fomentar o conhecimento, contribuindo para a superação de desigualdades e para o exercício pleno da cidadania.